quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Gordura Trans: essa desconhecida!

Até alguns anos atrás, a gente ouvia que cigarro, açúcar e colesterol faziam mal. Recentemente, começou-se a falar da gordura "trans". Você sabe o que é isso? Por que faz mal?

Até o início dos anos 1900s não havia refrigeração e uma das formas dos alimentos de origem animal ou vegetal estragarem e fazerem mal era o processo de degradação das gorduras em português chamado "ranço" ( Fonte: Houais: n substantivo masculino
1 decomposição ou modificação que sofre uma substância gordurosa em contato com o ar, dando causa a um gosto acre e a um cheiro desagradável
2 cheiro peculiar ao que é ou está úmido ou privado de renovação do ar; mofo, bafio
3 Derivação: sentido figurado.
coisa de caráter obsoleto, ou que perdeu a atualidade, se tornou antiquado
4 Regionalismo: Alentejo.
sentimento de ódio, rancor
n adjetivo
5 m.q. rançoso).
Nessa época foi desenvolvido o processo industrial de hidrogenação, para aumentar o ponto de fusão das gorduras (em geral vegetais) e assim permitir sua conservação por mais tempo.

Na natureza, ocorre em pequenas quantidades. A biohidrogenação, que ocorre quando os ácidos graxos ingeridos por ruminantes são parcialmente hidrogenados por sistemas enzimáticos da flora microbiana intestinal destes animais. Mas a maioria dos alimentos que contém gordura trans, contem gordura proveniente da hidrogenação industrial. Nesse processo são misturados hidrogênio gasoso, óleos vegetais poliinsaturados, um catalisador que geralmente é o nitrogênio, sob pressão e temperatura apropriadas. Esse processo vai resultar em ácidos graxos com ponto de fusão mais alto, devido a orientação linear nas moléculas trans e ao aumento no índice de saturação, e maior estabilidade ao processo de oxidação lipídica.

O que foi um avanço nos anos 1900s, quando se morria por intoxicação alimentar por ingesta de alimentos deteriorados/estragados, a partir dos anos 1990, quando a expectativa de vida subiu bastante passou a ser problema. Pois as gorduras que foram hidrogenadas passam a ter pontos de fusão acima da temperatura do organismo humano (36°C), causando arteriosclerose.

Outros riscos das gorduras trans nos alimentos em estudo são: câncer, diabetes tipo 2, obesidade, disfunção hepática e infertilidade.

Na natureza, ocorre em alimentos de origem animal em pequenas quantidades (carne de ruminantes e laticínios). Mas na indústria alimentícia foi amplamente usado para melhorar a durabilidade de enlatados, a aparência e textura de frituras, entre outros usos. Nos últimos anos têm sido substituídas e banidas da alimentação.

Bom ver que o bom de umas épocas é o ruim de outras... Ajuda-nos a ter uma perspectiva mais humilde de nossas opiniões...

6 comentários:

Ah, tá bom! disse...

Achei bem bom. Eu nunca tive a nocao de que gordura trans já tem mais de 100 anos. legal a história. Abraços.

Calvin disse...

gordura trans é a nossa nova inimiga... quantas mais será que descobriremos nesse século ein?

Klero disse...

É como eu digo para um amigo: não me pergunta de amanhã que eu não sei nem quem eu serei.

Mas sobre a gordura trans... Não tinha idéia. A preguiça de ler sobre o assunto sempre me deixou só com o "evite, ela vai fazer mal". O bom é que eu já quase não como nada que me faz mal!

Guilherme.Silva disse...

bom saber dessas informações....a maioria das pessoas pensam que a gordura trans surgiu agora...

ahhh, mas que é difícil deixar de comer todos os dias o biscoito de chocolate recheado...ah, é...

Homossexual e Pai disse...

e eu que achava que GORDURA TRANS era o que sobrava de lipoaspiração em travesti!
hehehehehe

Alexandre Lucas disse...

Alê: e de que já foi um avanço e de que seu custo benefício foi positivo por muito tempo :)