quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Led Zeppelin de volta aos palcos em Londres!


Foi um momento histórico para o rock (e para mim): o Led Zeppelin se reuniu após quase 20 anos do término da banda! O show ocorreu no O2 Arena, em Londres, na última segunda-feira.
Numa época em que todas as formas de pirataria proliferam, e exatos 2 meses após o Radiohead ter lançado seu último álbum para download na internet antes de colocá-lo à venda nas lojas, o reencontro do Led Zeppelin foi uma homenagem a Ahmet Ertegun, fundador da gravadora Atlantic Records, morto no ano passado.
Mas de que isso importa? O que importa é que desde 1980, quando morreu John Bonham, o baterista da banda, os integrantes remanescentes quase não pisaram mais no palco todos juntos! (esqueçam as 2 aparições de 85 e 88! nem se comparam a esta!) O que importa é que estamos falando de uma das maiores banda de rock de todos os tempos! O que importa é que 20.000 pessoas assistiram a um show que já entrou para a história!
Todas as notícias que li e assisti foram unânimes: o show foi impecável, emocionante, à altura de tudo o que os fãs ansiosos esperavam. "Fantastic!", na palavra preferida dos ingleses. Durante 2 horas, a banda tocou um set list escolhido a dedo para 20.000 privilegiados que tiveram de concorrer com mais de 1 milhão de interessados em um sorteio para conseguir comprar um dos 18 mil ingressos colocados à venda.
Esqueçam tudo o que já viram de bandas antigas voltando aos palcos, quando os "vovôs" podem agradar pelo momento mágico, pelo brilhantismo técnico ou pela emoção nostálgica, mas com lágrimas nos olhos percebemos que o tempo realmente passou. O cenário desta segunda-feira foi muito diferente desse. Um Jimmy Page de cabelos brancos, afiadíssimo na guitarra, usando até arco de violino para tocar, e dando o rumo da banda, como sempre, um John Paul Jones enxutérrimo, à sombra da dupla mágica, mas fundamental, como sempre, e um Robert Plant cheio de energia, com os inconfundíveis cachos loiros e uma voz magnífica, como sempre. Tudo como nos "good old times". Ops! Tudo, não. Na bateria, Jason Bonham, filho de John Bonham, que fez bonito substituindo o pai.
E, imparcialidade jornalística à parte, permitirei-me aqui comentar um pouco mais sobre (meu ídolo) Robert Plant. Mr. Plant continua tão fascinante quanto nos anos 70. Charmoso, "gritante" e carismático. Sua voz está longe de precisar dobrar o volume do microfone para ser ouvida. Continua sexy, linda e potente. Nada foi perdido para Mr. Robert Plant. Só o que os anos lhe trouxeram foi maturidade. Certamente merecedor do título de "lenda viva" do rock.
Bom, depois do sucesso do show, só nos resta aguardar com os dedos cruzados por uma possível turnê da banda, ainda sem confirmação. Mas há quem diga que ao menos os novaiorquinos podem começar a guardar seus "pennies" pra assistir a um show no Madison Square Garden, em 2008. De acordo com o jornal britânico "The Sun", uma fonte teria revelado que a decisão foi tomada após o show, entre xícaras de chá e café: "A banda estava muito animada e se perguntando o que John Bonham acharia daquilo." Correm rumores ainda menos consistentes sobre mais 2 shows em Londres, no Wembley Arena, também em 2008.
Mas enquanto nada disso é confirmado, o jeito é esperar pela edição do show em DVD, já que os vídeos foram retirados do youtube (o tempo que perdi [ganhei] assistindo a todos esses clipes antes de serem retirados não tem preço! rs).
De consolo (e presente, claro!), deixo aqui um vídeo dos antigos.


2 comentários:

Alexandre Lucas disse...

Julie, sabe que invejo sua cultura musical, né ;)

Andre H. disse...

Pensei que fosse citar um amigo seu que não gosta de Led e que odeia Stairway...
Como pode isso né, uma pessoa não gostar do Led? Fico me perguntando às vezes... rssssssssssss
Ótima texto, Miss Lexotan 6mg.
Você como médica psiquiatra dá uma ótima jornalista.
Precisa escrever mais.
Me acompanhe... vou retornar ao meu blog acabando as aulas!
bjs