quarta-feira, 25 de junho de 2008

HPV - série DST's



(imagens obtidas com microscópio eletrônico do HPV)
Vou fazer uma série de posts sobre assuntos que as pessoas não gostam de ouvir falar de: DST's (Doenças Sexualmente Transmissíveis). Começarei por uma das mais fáceis de "pegar" e mais difundidas na população, nem por isso menos perigosa - o papiloma vírus humano - ou HPV na sigla em inglês.

Com o uso generalizado da camisinha (mais entre os gays assustados com a AIDS /SIDA após a década de 80), o HPV ganhou espaço, pois não é totalmente bloqueado com a camisinha. Pega-se e transmite-se HPV durante as preliminares/"foreplay". Surgem aquelas "verruguinhas" pequenas (nem sempre) e embaraçosas no pênis, ao redor do ânus (perianais), no interior do reto, na região da virilha e na face interna das coxas, ao redor da boca, e mesmo da orofaringe.

O tratamento e as orientações de saúde pública são voltadas principalmente aos heterossexuais, e os homossexuais ficam num perigoso buraco negro de desinformação, com conseqüências que podem chegar da contaminação de terceiros ao câncer.

O papiloma vírus humano (ou HPV, do inglês human papilomavirus) é um vírus que infecta as células superficiais da pele ou mucosas, e possui mais de 200 variantes. Em sua maioria é dominado pelo evoluido sistema imunológico humano, dando origem a lesões benignas, tais como verrugas, mas certos tipos por vezes evoluem para neoplasias como o cancro do colo do útero ou do reto.

A forma de transmissão do HPV clássica é a sexual, sendo a DST mais comum. A maioria das situações não apresenta sintomas observáveis, mas podem evoluir com alterações como o cancro. Nos homens, o exame clínico é fundamental, diferentemente das mulheres onde o padrão é a citologia cervical ou Papanicolau. No homem as manifestações são menos freqüentes do que na mulher, mas não menos perigosas.

As estratégias de prevenção, como nas demais DST's, consistem em evitar comportamentos de risco. Recentemente lançada no mercado, uma vacina que previne a infecção por APENAS alguns dos subtipos mais frequentes de HPV, encontra-se em discussão de viabilidade em diversos países.

As opções de tratamento dependem do tipo das lesões, podendo abranger desde tratamento destrutivo ou excisional - destruição física - ou um tratamento medicamentoso (menos eficaz).

Assim, quem notar este tipo de lesões deve procurar um dermatologista/urologista/proctologista, dependendo da área das lesões. Por vezes a escolha do especialista pode ser orientada por um bom clínico geral.


(lesões em hálux - "dedão)


(lesões em glande penaiana e escroto)

(lesões em glande peniana e corpo do pênis)

(lesões em dorso da mão)

Vale lembrar as regras do sexo seguro e que adquirir uma DST é fator de risco importante para ter adquirido outras.

Vamos aproveitar a vida com responsabilidade para não ocorrerem arrependimentos posteriores. O bom é ter saúde para curtir família, amigos, sexo, fetas, e tantas outras coisas =)

5 comentários:

Too-Tsie disse...

Não é nada glamuroso, chic e cool falar disso mas acho bem necessário.

Ainda mais pra essa nova geração desmiolada que só pensa no gostosinho da hora H e esquece das consequências.

Leo Lazzini disse...

fantastico cara, bacana mesmo, ta de parabens!!

Alexandre Lucas disse...

Meninos, vem mais terror por aí, hehehe .
O que importa é conscientizar e informar a galerinha.

" O PIMENTA ! " disse...

Querido, congratulations for you!!! Muito legal o que vc está fazendo....afinal de contas, já que os gays não gostam de ouvir a verdade em lugares chatos, que ouçam aqui, onde tem muita diversão junta!! Eu já havia pensaod nisso no meu blog, falar de DSTs (Principalmente as que nos acometem com mais frequência), pois tive um amigo meu infectado recentemente por hpv, mas já que vc tomou a iniciativa e em "BIG STYLE", PARABÉNS!! vou aproveitar seus posts fazendo a citação da fonte pode ser?
abração

rita disse...

é horrivel saber q podemops pegar uma DST em qualquer relaão ,pois é dificil saber quem ta infectado. vendo essas fts, da medo de fuder! por isso a camisinha é obrigatoria. q nojo!!!

bahia