segunda-feira, 4 de maio de 2009

O "PASSADO" É PASSADO

Interrompemos nossa programação para o pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Vice-Presidente do Conselho Administrativo do R.H. do Inferno, Dr. Pavinatto, de acordo com o artigo de Lei que ele mesmo acaba de estabelecer.

Prezados,

Antes de mais nada, não deixei de estar permanentemente passado com o Brasil.

Depois de uma enxurrada de e-mails, a mim e aos meus próximos, confirmo e oficializo o fim do meu blogo "PASSADO COM O BRASIL". Birra? Loucura? Covardia? Um pouco de tudo isso, confesso. Confesso também que por uma última atitude de respeito, que, por incrível que pareça, converteu-se em desrespeito. Não que eu queira, aqui, pela abstração destas palavras, fazer como Jânio Quadros, que, ao renunciar a Presidência da República, afirmou que assim procedia em decorrência de forças ocultas. As forças, no meu caso, nada têm de ocultas, são, pelo contrário, para mim, muito explícitas, reais e bem delineadas. Mas essas forças, concretas e aparentes, forças fortes, se assim se pode dizer, não tiveram o condão de, diretamente, extinguir meu caderno virtual: Quem o fez fui eu e, continuo, não o teria feito em outras condições. Logo, se para bom entendendor meia palavra é até desnecessária, creio que já falei em demasia e apenas tenho tomado o tempo do paciente leitor.

Registro que me reservo do trabalho de narrar os acontecimentos que só a mim interessam; posição que vai conforme meu direito e contra a curiosidade alheia. Contudo, por conta de minha arrogância (até porque somos crentes da sobriedade schoppenhauriana, cujo pensamento sobre a modéstia é apontá-la como uma humildade hipócrita, na qual cada um tem de pedir perdão por ter os méritos e virtudes que os outros não têm) e audácia mesmo, avanço no meu silêncio e "ensaco" todas as razões do meu "suicídio virtual" em uma palavra: Preconceito - fato da vida que tem me colocado, reiteradas vezes, no papel social de vítima. Daí a covardia figurar entre os elementos que apontei logo no começo do presente depoimento.

O que me consola é saber que não sou covarde como o homem médio, que sempre, a duras penas, dou, quando julgo necessário, minha cara à tapa. Mas, nesse episódio, fui vencido pela covardia e é com vergonha que, por saber que nunca poderei continuar a fazer ou a fazer qualquer coisa nova escondido pela máscara do anonimato (pois é atrás da anonímia, conforme ensina Ruy Barbosa, que se alaparda a covardia, se agacha o enredo, se acocora a mentira, se acaçapa a subserviência e se arrasta a venalidade, sendo certo que, conforme o mesmo Mestre do pensamento jurídico brasileiro, "quem, para ferir outrem, principia por ocultar o próprio nome, apenas faz jus ao desprezo") anuncio o fechamento do meu púlpito virtual, meu parlatório de críticas.

Faço um pedido que identifico como síntese de tudo que escrevi naquele blogo: Lutem! Lutem sempre e sempre contra o preconceito, pois, se o preconceito é filho da ignorância, doença curável do cérebro humano, nunca é tarde para superá-lo. Antes fossem os preconceitos tão-somente "os reis do vulgo", como afirmou Voltaire (que, justiça seja feita, foi grande algoz dos preconceituosos), pois, se fossem deveras assim, seriam fonte de humor. Fato é que "o preconceito é um fardo que confunde o passado, ameaça o futuro e torna o presente inacessível" (memoráveis palavras de Maya Angelou), além de vitimar, com requintes de crueldade psicológica, seres humanos todos os dias em todas as partes do globo terrestre. Por isso é preciso levantar a bandeira da educação, da tolerância, do respeito. Em outras palavras, da Democracia.

Em encerramento às razões que já tomaram corpo de discurso, posso me orgulhar de uma coisa: eduquei através do meu blogo e eduquei também com o seu encerramento, pois isso foi o desfecho de um processo particular que, apesar da animosidade criada e das dores vividas, serviu para abrir certos olhos e extirpar um pouco da catarata católica apostólica romana.

Agradeço, por fim, àqueles que lamentam e, por derradeiro, para desespero de muitos, informo que minha alma penada ainda vaga pelo R.H. DO INFERNO.

E tenho dito!

6 comentários:

Arsênico disse...

É realmente lamentável... mas ninguém melhor que vc para saber a hora de parar ou não... vc tem suas razões... e o respeito muito por isso... percebi que retirou o NATTO do seu nome... se o faz sentir-se melhor... que seja melhor pra ti... e nós... blogueiros e leitores... queremos apenas o bem dos nossos próximos...

Que bom que poderemos contar com suas sábias palavras aqui no RH...

Vc não é... e nunca foi covarde... vc sempre foi um vencedor... sem demagogias...

umGrandeAbraço!

***

Daniel disse...

Passado mesmo.

Klero disse...

Passado.

Alexandre Lucas disse...

"Prefiro o céu pela paisagem e o inferno pela companhia...." (Vinícius de Moraes)

Bom tê-lo sempre por perto =D

Amigo que mais rapidamente aprendi a admirar demais.

Lembrei de uma frase que admiro:

" In high school, while your children were doing what kids that ages should be doing, mine labored over a suicide note, drafting and redrafting it to be sure his family knew how much he loved them. My sobbing 17-year-old tore the heart out of me as he choked out that he just couldn't bear to continue living any longer, that he didn't want to be gay and that he couldn't face a life without dignity. You have the audacity to talk about protecting families and children from the homosexual menace, while you yourselves tear apart families and drive children to despair. I don't know why my son is gay, but I do know that God didn't put him, and millions like him, on this Earth to give you someone to abuse. "

—Sharon Underwood

Alexandre Lucas disse...

Demorei a achar esta na gaveta:

Persecution and torment by no means require persecutors and tormentors; all that is necessary is us ordinary folk confronted, by someone who is not one of us: a Negro, a wild beast, a man from Mars, a poet or phantom. Aliens are born to be persecuted.
Marina Tsvetayeva

Tony Goes disse...

Mas o que foi que aconteceu? Pareço marido traído, sou o último a saber. Depois alguém me conta? E esse seu blog novo, "Nascido em Pavi"? Ainda não tem nenhum post, mas já sou seguidor.