quarta-feira, 18 de março de 2009

Seguido a linha pesada, porém agora educativa: Tumor de testículo


Os testículos, parte do aparelho genital masculino, como todos os demais órgão do corpo humano, são passíveis de doenças, dentre elas tumores (câncer) ditos malignos ou benignos, conforme sua constituição e agressividade. A chance de um homem ter tumor de testículo durante toda a vida é de 1 para 250 homens. Parece pouco, mas não é. Atinge principalmente adultos jovens nos seu vinte a trinta anos, mas o risco maior abrange de 15 a 40 anos.

A boa notícia é que os tumores de testículo são os que tem as maiores taxas de cura dentre todos os tumores que acometem os seres humanos, cerca de 90%, chegando a 100% de cura se ainda não tiver havido metástase. Alguns casos requerem quimioterapia, e outros tumores não são cânceres, mas outras doenças benignas.

Muito mais comuns entre brancos que africanos ou asiáticos, um dos principais fatores de risco é o criptorquidismo, em que um ou ambos os testículos não descem para a bolsa escrotal durante o desenvolvimento do indivíduo e permanecem na cavidade abdominal.

Os principais sintomas observáveis pelo indivíduo são a palpação de um "caroço" na superfície de um dos testículos, e/ou sangue no esperma.

O diagnóstico é feito através de biópsia e deve-se procurar o médico o mais breve possível. Quanto mais cedo inicia-se o tratamento, maiores as chances de uma cura eficaz.

A exemplo do auto-exame das mamas nas mulheres, os médicos preconizam exames de palpação periódica pelo próprio indivíduo, em dias de banho quente, em que a bolsa escrotal esteja relaxada, o que facilita o auto-exame.

2 comentários:

Daniel disse...

inclusive tem uns vídeos suuuuuuuuper-didáticos sobre o assunto no Youtube que eu recomendo!!!

Alexandre Lucas disse...

Achei os vídeos do Youtube muito puritaninhos...