quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

3 minutos

"O Retrato de Suzanne Bloch", de Picasso, e "O Lavrador de Café", obra de Cândido Portinari (foto: reprodução).

Emblemático duas importantes obras do MASP terem sido roubadas em apenas 3 minutos. Mostra, além do descaso dos agentes públicos com a segurança de nosso patrimônio histórico (roubos recentes ocorreram no Museu do Ipiranga e na Biblioteca Nacional), a permeabilidade do Estado Brasileiro ao roubo e ao furto. Um país que arrecada muito, mas que também desperdiça a água tratada em vazamentos que deveriam ter sido arrumados (vide a rede da SABESP na cidade de SP), que superfatura obras públicas, mas nunca as privadas, que deixa faltar remédios essenciais, mas constrói hospitais gigantescos sem aparelhá-los nem pagar de forma condigna seus profissionais. Que constrói presídios em áreas cobertas pela telefonia celular, e os abarrota com mais presos do que caberia.

Nossos governantes merecem 3 minutos de reflexão... Mas não acredito que levaria a nada, pois é um descaso pensado, arquitetado, como o vão livre do MASP.

3 comentários:

Alberto Pereira Jr. disse...

Alê, o que seria "relexão"?
hehehehe..

brincadeiras a parte.. que tristeza não? como o MASP não tinha alarme? como não tem um segurança pra cada porta!

um absurdo

Alexandre Lucas disse...

Obrigado pelo toque de erro de digitação. Corrigido :)

introspective disse...

Feliz Ano Novo!