sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Educação

Todo mundo sabe que o que faz de um país uma grande nação é o investimento em educação. Recentemente foi publicado - e muito criticado - um livro denominado "A Cabeça do Brasileiro", de autoria do sociólogo Alberto Carlos Almeida, que é professor na Universidade Federal Fluminense, pela editora Record.

Nele o autor expões diferenças de opinião (OPINIÃO, não atitude) dentre os vários segmentos sócio-econômicos, regionais, etários e educacionais do país. Trata-se de estudo abrangente, bem feito e honesto.

Causou reboliço por demonstrar que, de acordo com artigo da Folha (assinantes do jornal e/ou do UOL podem ler a íntegra clicando no link): "Em praticamente todas as questões propostas, os entrevistados com diploma de ensino superior se mostram menos fatalistas, menos conformistas, menos conservadores do que a população de baixa escolaridade. O abismo é total quando se compara o pensamento de uma mulher nordestina, analfabeta, idosa e moradora do interior com as opiniões de um jovem habitante de alguma capital do Sudeste."

Pesquisou-se temas como uso da força pelo Estado, corrupção, jeitinho, homossexualismo, etc...

O autor do livro e o do artigo da Folha (Marcelo Coelho) explicam que a "moral da história" não é que a elite branca é melhor que o povão que atravancaria o avanço do Brasil, e sim que a EDUCAÇÃO FORMAL é o único caminho para uma sociedade mais democrática, justa, honesta e tolerante.

Quem sabe em mais 500 anos...

6 comentários:

Alberto Pereira Jr. disse...

com certeza a educação é´a única maneira de se construir uma sociedade plural, democrática, mais aberta e atuante.. mas não qualquer educação, a BOA EDUCAÇÃO, igual para todos...

uomini disse...

Honestamente: não acredito em mudanças significativas nesta geração (e como diria um professor que tive: "há, no passado e no futuro, momentos muito mais interessantes que o nosso...")

Trintinha disse...

Amigoooooooooooo! Vc acertou em cheio nesse post! Realmente, educação BOA é o que nos faz crescer! Beijos!

Marshall disse...

Cara, eu fico cada vez mais inconformado com as coisas que acontecem nesse país.
concord ocompletamente com seu post, acho que a educação pode dar um jeito de 'nivelar' a opinião do povo, mas como voc~e deve ter visto, até a educação está em greve no país hoje em dia!!!
absurdo!

Guilherme.Silva disse...

Querer ir atrás do conhecimento é o necessário. Nossa pátria, nossa língua, é escrita e falada por pessoas educadas pela televisão, que recebem tudo editado, traduzido e mastigado. Não há dúvidas de que nossos estudantes pensam, muito pouco. Pensam no futuro, em realizar sonhos, pensam nos seus ideais. Mas pensam estimulados pela Fernanda Lima, pelo Luciano Huck, pelo Big Brother Brasil. É pouco. Muito pouco. É bacana ter ídolos, mas Platão, Aristóteles e Nietzsche, esses caras sem rosto e sem idade, que nunca empunharam um microfone, têm o poder de ampliar o campo de atuação dos neurônios. Dizem que a gente só utiliza 5% do cérebro. Acho que falta filosofia. Filosofar é a puxação de ferro que nos possibilita aumentar esse índice. É preencher mentes desocupadas com idéias consistentes, que levam a conclusões humanistas e libertárias.

introspective disse...

500 anos? eu adoraria dizer 'vira essa boca pra lá', mas sou obrigado a admitir que estou feliz pelo fato de que não estarei mais aqui para ver o nosso Brasil (não) chegar lá...