segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Feliz Ano Velho

Dia desses tive de produzir uma matéria sobre as festa de fim de ano, que parecem chegar cada vez mais cedo. Desde outubro é possível ver panetones, árvores de Natal e milhões daqueles velhinhos com cara de pedobear pela cidade.

Nessa onda as pessoas passaram a falar que 2011 voou, que de janeiro a novembro se passaram apenas seis meses, e outros exageros do tipo. Muita gente tambem a comemorar as boas conquistas dos últimos doze meses, como o emprego novo, casamento, saúde. Uma felicidade, mesmo que temporária, que define o senhor ou senhora.

Não sei pra vocês, mas 2011 já vai tarde e deve ter levado uns 24 meses pra passar. Não vejo a hora do dia 31 chegar e poder iniciar um novo ciclo, pelo menos de tempo.

Do mesmo jeito que a dona Maria ou seo José se definem pela alegria, como o filho que estudou ou o fim do pagamento da maquina de lavar roupas, há que se defina pela tristeza. Pode ser um casamento, um namoro que não deu certo, um emprego frustrante.

O ano que passou virou um pequeno Feliz Ano Velho, do Marcelo Rubens Paiva, na minha vida. Uma sucessão de pequenas tragédias que foram se transformando num piano de cauda, cuja a única solução é fingir que não estão lá, para não acabar ficando louco.

Todo mundo ~ adora ~dizer que não se deve deixar definir por algum problema ou dificuldade, que é preciso supera-lo e que o tempo ajuda a superar. Pois é apostando nessa formula de livro de auto ajuda barato, de que o tempo supera tudo, que eu espero poder enfrentar. Não sei vocês, mas espero sinceramente que essa porra de 2011 acabe logo.

2 comentários:

Alexandre Lucas disse...

Feliz Ano Velho! =)
Que venha 2012 e que seja MUITO melhor. Nasci em ano ímpar, mas sempre gostei mais dos pares.
superstição? O tempo dirá.

Daniel disse...

Mas é a mais pura verdade. Quando eu quebrei a perna, a única coisa que eu queria era dar FF nos 5 meses de recuperação. O tempo é mesmo o senhor da razão.

E como diz o meu médico: aniversário é só uma data no calendário. reveillon também. é só para marcar o tempo, mas não define nossas vidas. nossas escolhas sim.