segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Certas coisas podiam mudar...


O domingo começou punk! Minha mãe ligou para contar que uma amiga da familia foi assassinada aos 32 anos. A filha de 7 anos tambem foi morta. O autor? O ex-marido.

O caso aconteceu em Alto Alegre, cidadezinha de 4 mil habitantes, em São Paulo onde meu avô mora. A moça cobrava do ex-companheiro R$8 mil em pensão alimenticia atrasada. Essa semana ela acionou a justiça. O cara não gostou...

Ele entrou na casa, matou matou a mulher a tiros. Matou a filha de 7 anos e ainda baleou a mais velha de 12. Depois, o sujeito que é enfermeiro, foi para o hospital de Penapolis, cidade vizinha, trabalhar. Ele só fugiu quando a ambulancia, olha a ironia, encostou com a filha baleada.Ela so tinha 32 anos, a filha tinha 7. Agora, vai saber como, vai ser a vida da filha que ficou.

Por essas e outras existe a Lei Maria da Penha. Para afastar homens que acham que são mais homens só porque batem nas esposas, companheiras, namoradas. Maria da Penha quase morreu em 1983, hoje 3 anos depois da lei que - tenta proteger - ser sancionada, sabe se la quantas mulheres ainda sofrem com seus companheiros. Essa amiga da minha familia foi mais uma...

5 comentários:

André Mans disse...

tomara que ele seja enrabado na prisão até seu cu degolar em sangue e morra com uma sofreguidão gigantesca.

maldito!
monstro!

Daniel disse...

Existe uma concepção errada sobre a Lei Maria da Penha alimentada pela imprensa que sempre ajuda a propagar esses conceitos leigos.
A LMP, na verdade, não criou nenhum crime, nem aumentou pena de nada. Todos os crimes cometidos com abuso de relação familiar ou de coabitação já estavam previstos no Código Penal. Ela só endureceu o processo contra o homem agressor e é aí que entram vários questionamentos sobre sua constitucionalidade.
Esse caso que você citou no post se trata de dois homicídios consumados e um tentado, provavelmente qualificados por motivo torpe. São crimes tão graves que a LMP nem precisa ser aplicada.

Alexandre Lucas disse...

A humanidade ainda precisa avançar muito. Pena que seja tão lento..

Nícholas Vasconcelos disse...

Usei a Lei para falar de violencia contra as mulheres,de maneira geral,não fui consultar o codigo penal porque não estava em condições para tal. Ate porque não ia entender nada rsrs. Faço Mea Culpa quanto a parte da imprensa.
Obrigado pela dica.

Alexandre Lucas disse...

Tecnicalidades, amigos...