domingo, 11 de janeiro de 2009

Do que não quero


Dia desses uma ex-namorada fez uma visita na TV onde trabalho. Isso mesmo ex-namorada.Confesso que nunca me senti tão mal. Mal por lembrar de quando eu pensava que o normal era casar com mulher e dar umas "escapadas" com algum homem.Achava que isso era felicidade. Tentava disfarçar o que eu sabia, o que todo mundo já sabia. E acabava enganado. Engraçado como agente carrega isso dentro da gente durante tanto tempo, jurando que os errados são aqueles que desafiam o que está pronto, aqueles que se arriscam a dizer o que realmente pensam. Aqueles que batem no peito que tão prontos a dar a cara pra bater.

Não sou antropólogo, psicológo, tão pouco tenho carga de vida pra dizer que isso é fruto de criação machista, do preconceito embutido e blá, blá, blá...Sei dizer que muita gente convive com isso, assim como muita gente que também passou por essa criação sabe que existe outra saída.Sabe que viver de banheiro em banheiro, de sombra em sombra, se escondendo não é sinal de uma vida feliz.

Fiquei me sentindo péssimo porque em algum momento passou pela minha cabeça que era normal querer enganar a moça. Que ela não precisava saber e que o que importava era a minha felicidade...Puta que pariu, eu era mais egoísta. Fiquei pensando como seria dar carinho e atenção à ela, mas não sentir desejo por ela era injusto. Era injusto com ela e era injusto comigo. Terminar e contar para ela foi o justo. Tirou um trem das minhas costas.

Hoje continuo sem muita certeza de muita coisa. Típico de quem tá com 22 anos e ainda não sabe o que quer da vida. Mas tenho certeza de que viver no escuro é uma coisa que eu não quero.

9 comentários:

Alexandre Lucas disse...

Falar de si é sempre, na minha opinião, uma das coisas mais difíceis. Mas achei tua postura honesta e libertadora =D

Jarbas disse...

lindo texto... a mudança, a sua mudança já prova o quanto você evoluiu e melhor sempre é uma coisa boa!

abraços

R. Paschoal disse...

"Mentir pra si mesmo é sempre a maior mentira".
Viver no escuro é para os medrosos, e estar na luz não significa, necessariamente, que todos precisem saber de detalhes íntimos de sua vida.
Contanto que você aceite e realize seus desejos, a vida vai parecer bem mais iluminada.

Grande abraço!

Daniel disse...

sair do armário não é um fato em si. é um processo. Começa com assumir para si mesmo e essa é a parte mais difícil. Nem gosto de Legião Urbana, mas "mentir para si mesmo é sempre a pior mentira" é a melhor coisa que me vem a mente nesse momento.
tô pensando em linkar para esse post no meu blog. :) Muito bom.
Eu pensava a mesma coisa nos meus 22 anos.

Anônimo disse...

Desabafo perfeito... sei bem como vc se sente!!!
Abraços
Rigo

C. Maurício disse...

Feliz é aquele que não tem medo de mudar!
Essa sempre foi uma das minhas frases favoritas, nem me lembro mais de onde tirei...
Nossa, sua sinceridade é assustadora, parabéns!

Leandro disse...

Olha, vou dizer do alto dos meus tantos anos de vida assumida... Não viver a vida escondida tb não é sinal de felicidade, mas é um começo. E é respeito próprio. E faz toda diferença. Mas a vida vai dando altos obstáculos... E se percebe que amar outro homem não é nada demais: Não mesmo. De resto, tudo continua igual. E isso é um dos bons da vida.

Arsênico disse...

o mais complicado... é termos coragem pra assumir pra gente mesmo quem na verdade somos... depois disso... o resto é o resto... e como bem disse o Leandro... não viver a vida escondida não é a felicidade... mas é um passo pra que vc mostre seus valores... e ensine os outros a respeitá-los... um Beijo!

***

Gui Sillva disse...

faço as palavras do leandro as minhas!!!
ser infeliz que não dá.
o importante é se respeitar.