quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Qualidade do treinamento

A coisa mais difícil do mundo é admitir a própria ignorância, e quando falamos em fazer exercícios, todos sem exceção acham que sabem o que estão fazendo e ficam anos e anos pondo a culpa em nao ter tempo, em nao ter suplementos no volume adequado, em nao ter uma boa sala de pesos, começam a querer apelar para esteróides e hormonio do crescimento como se um ml de óleo ou de uma proteína diluída fosse fazer o mesmo efeito que anos de um bom treino com uma metodologia precisa e adequada. Hoje vamos falar de qualidade do treinamento e este post é em homenagem aos meus amigos Professores, com P maiúsculo porque foram meus professores, e que me ensinaram e continuam me ensinando o que significa treinamento físico: Rogério de Moraes e Fernado Marques. Amigos, este é para voces:

Músculo nao sabe contar...

Como o Fernado diria, músculo não sabe contar. O que o professor espera ao lhe dar uma planilha é que ela seja suficiente para lhe causar fadiga - falencia total - da musculatura que está sendo trabalhada, pois é essa fadiga que é o estímulo primordial para que o músculo de desenvolva. Se não há fadiga, não há motivo pela qual o músculo tenha que se adaptar, porque a priori, apesar de exercitado, o fato de não levá-lo ao limite faz com que o organismo não sofra o mesmo "dano" metabólico e estrutural que o obrigue a se remodelar de forma a sofrer menos interferencia na sessão seguinte de treinamento. O músculo cresce e fica mais forte devido à capacidade do organismo de "perceber" que foi levado até a fadiga completa, mensagem que é interpretada da seguinte forma: vou me modificar para que possa suportar este nível de fadiga e ainda deixar um potencial de reserva - assim como todas as outras funções do corpo... todo o organismo tem uma capacidade funcional de reserva: o coração aumenta a frequencia cardíaca quando solicitado porque precisa bombear mais sangue, os rins aumentam o ritmo de filtração glomerular quando necessário porque sua função é filtração, o tubo gastrointestinal aumenta ou diminui o peristaltismo... o músculo aumenta em volume e melhora sua maquinaria neurológica e contrátil ficando mais forte e mais resistente - porque a função do músculo é contrair! A diferença é que tudo o que falamos antes nós não controlamos e o músculo sim: o músculo depende do nosso comando voluntário para poder atingir sua capacidade funcional de reserva e dessa forma depende de nossa vontade para ser estimulado da forma ideal, portanto, desenvolveremos se essa for a nossa vontade... (não é a toa que Arnold Schwarzennegger foi estudar o poder da mente sobre o corpo aos 15 anos de idade, quando decidiu virar campeão...)

Vai neguinho...

Imagina só um cabra com cara de raper americano e tamanho de um godzila japonês te mandando fazer mais uma repetição... pois é, eu fazia, porque afinal de contas, manda quem pode e obedece quem tem juízo, não é mesmo? E assim o Rogério começou a me mostrar ainda no meio de 1999 como é que se fazia para ganhar força: esgotando a capacidade de determinado grupo muscular e essa foi uma época fundamental para meu aprendizado: aprendi a fazer arranque, elevação terra, agachamento... aprendi que não existe abdomen bonito se não treinamos membros inferiores, entre milhares de coisas que o Rogerião pacientemente foi me ensinando. E olha que nessa época eu já treinava há 6 anos... ainda ssim, como havia coisas a serem aprendidas... E o próprio Arnold já dizia, e já que falamos dele no paragrafo anterior, falemos nele novamente: "quando sinto o músculo queimar, é hora de fazer mais duas repetições." e nisso o meu professor Rogério sempre me educou: a chegar ao limite, sempre com essa frase carinhosa: vai neguinho, vai neguinho! hehe... tempo bom...

A mente pára antes...

Uma vez devidamente apresentado e vendo meus esforços diante da minha rotina absurdamente caótica, o professor Fernando Marques, meu colega de trabalho nas palestras Brasil afora, hoje meu amigo Fe com muito orgulho, resolveu me orientar para o fisiculturismo devido a minha inclinação, evidente pela minha força de vontade... E sabe o que mais, ele mais uma vez falou a coisa certa na hora certa: A mente pára antes Paulinho... parece coisa de mestre Jedi, ou de Lord Sith, mas no final é... eu estava fazendo um bíceps rosca 21 e iria parar na sétima repetição, quando ele me mandou essa frase, e num segundo depois eu estava pensando tudo isso que lhes escrevi no parágrafo de introdução... resultado: terminei as 21 repetições e sentei para escrever este artigo, (com o bíceps duro e inchado, claro...), porque de fato, diferente de todos os outros sistemas do organismo, o sistema músculo-esquelético não dispoe de um drive que o leve até seu limite, depende da nossa ordem para fazê-lo...

Agora reflitam:

pensem nos treinamentos que estão fazendo. pensem se tem atingido o máximo que são capazes de fazer... se treinam sozinhos, muito provavemente não, porque é algo dificílimo de se atingir, sozinho então... pelamordedeus... pensem se voces tem chegado à academia e de fato treinado, ou se simplesmente tem cumprido uma planilha e pensem ainda se tem realmente usado os aparelhos ou se tem simplesmente os ocupado... existe uma diferença nítida entre quem usa o aparelho e quem só ocupa o aparelho... pensem bem quem são voces...

E eu termino ponderando...

Sem estes conceitos, provavelmente eu nunca teria chance de conquistar aquilo que eu determinei que irei conquistar e eu nunca os teria adquirido se não fossem estes professores em especial, que são ainda meus professores, mentores e amigos. Se vale o conselho para voces, aliás, é por isso que voces leem este blog, tenham sempre um bom professor. É este bom professor que vai lhe garantir a possibilidade de buscar alguma coisa. se voce vai conquistar ou não depende de muitos fatores para discutirmos aqui, mas a possibilidade de voce buscar depende deste profissional em especial, que vai lhe educar de fato, na ciencia da atividade física de forma a voce saber que o tempo que voce está investindo no seu projeto está sendo util e nao está sendo desperdiçado. Obrigado Fê, Obrigado Negão, vocês são parte de tudo que eu tenho que agradecer de bom da minha vida profissional e dos meus resultados no esporte que eu escolhi. Abração!

(e claro, um abraço forte a todos meus amigos professores: Alê Passos, Adri Lino, Gu Pasqualotto, Alvaro, Roger, Serginho, Rodrigão, Denise, Brunão, Monge, Mel, etc, etc, etc... graças a Deus...rs...)

Saúde, sucesso e vitória! (com muita performance com muita saúde!)

Muzy

4 comentários:

Jarbas disse...

musculos, musculos, musculos.. tudo que eu mais queria na minha vida. preguiça, preguiça, preguiça o que eu tenho de sobra.

Daniel disse...

Não exatamente Jedi, mas eu penso muito no Spock e sua filosofia de anular os sentidos ("dor é psicológico") para tentar fazer os exercícios até queimar.

Alexandre Lucas disse...

O projeto verão já atrasado...

Anônimo disse...

Claro !
Bomba pra que né...