segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Campo Grande é looonge


Para quem não sabe Campo Grande é a capital de Mato Grosso do Sul (do Sul) é o interior, do interior do Brasil. Tem aproximadamente 750 mil habitantes, mas tem horas que parece ser uma vilinha de interior.
Opção na noite? O que é isso? Aqui você pode ir a quatro ou cinco bares na avenida principal da cidade (isso mesmo todos na avenida principal. Sentiu o tom interior?). Com meia dúzia de lugares para ir é comum encontrar gente de todas as tribos. Descolados, mauricinhos, patricinhas, pagodeiros, agroboys e agrogirls (o pessoal aqui ainda se divide em gosto musical).
A cena eletrônica também é curiosa.Há três cenas: Garage, a mais disputada de todas que volta e meia traz alguém de fora; Lolla, lounge que de vez em sempre descamba para Rihanna e o Tango, que depois de um bom tempo resolveu dar uma repaginada. O engraçado é que tudo aqui é meio farofa (a cidade reúne gente de tudo quanto é lugar) e é fácil encontrar que ouça sertanejo e Offer Nissin....
Se noite é algo difícil em Campo Grande, imagine noite gay. A cidade tem uma única boate gay, o Bistrot, que segue a linha farofão com muita Britney, Rihanna (sim, ela de novo) e um quê de underground. O Garage tem um festa gls periódica, a DeLuxe antigamente era Colors, mas a necessidade de parecer pheeno falou mais alto e o nome mudou.
Tem ainda um bilhar, Zen, que no inicio era de meninas e hoje atrai toda a biluzada da cidade. Lota, principalmente nos dias de Dumatto (banda pop-rock que toca versões de Kylee Minogue, The Killers e afins).
Antes havia o Século XV, que virou XVIII, que virou XXIII e que fechou. Era Meca do carão. Acabou fazendo carão pra sim mesmo.
Sem dúvida a melhor casa era o D-Edge. Sim Campo Grande tinha uma filial da boate de São Paulo. Que era a mais receptiva que o Garage.Mas pela falta de atenção, ambiente depredado e insegurança a casa esvaziou e fechou.

13 comentários:

rafo disse...

my name is rafo ...
De boa jornalista, tua percepção é interessante, concordo com um monte mas não me venha dizer que noite gay se resume ao gueto que vc relatou ! Será que aqui, ou em são paulo, ou em bangladesh, a noite gay não quer dizer muito mais que a vida clubber, fashion ?

Alexandre Lucas disse...

Rafo, só não me venha sugerir reunir os amigos pra jogar War... Abafa. Balada é uma coisa, intimidade com os amigos outra. E adoro as duas coisas, mas sem jogos de tabuleiro hehehe.

ludo disse...

Fiquei curioso para ouvir a banda Dumatto.

[thiago] disse...

Sobre a D-Edge, não é o contrario? Nós em sampa temos a filial, e a matriz acabou fechando??

GUI SILLVA disse...

pelo menos o RH tem correspondente em MGS! Luxoooooooooooo.

Anônimo disse...

um erro... a D-edge daqui é a original... filial é de Sampa... tanto que o dono Renato Pereira (atual Ratier) é daqui... e mto antes de Sampa brincar de ouvir musica eletrônica o top djs já vinham pra CGrande e só passavam em SP na escala de vôo...
Eduardo-MS

GUI SILLVA disse...

é óbvio que é MS. só uma anta - como eu - para escrever MGS!
affffffffff

sorry!!!
beijosss!
E bem-vindo, vc vai se divertir horrores por aqui. tenho certeza.

Marketing News disse...

Parabéns pelo post...as vezes me sinto perdido e esquecido no cenário nacional, lembrado apenas quando Fernandinho Beiramar e companhia são escoltados para o presídio...aí sim, o Brasil inteiro sabe onde é Campo Grande. Hj ao completar 109 anos a Metropóle Rural evolui muito rápido e vê grandes supermercados, industrias, shoppings, residenciais...mas realmente tenho que concordar que opções de noite naum existe. Uma pena para uma capital deste porte...o q nos resta?O "sertanojo" e as várias violadas espalhadas pela cidade...cena eletrônica? Sim, estamos bem servidos como Garage. Ceba eletrõnica gay?Naum...Campo Grande naum sabe o q é isso...talvez por isso todas as vezes que vou a The Week encontro uma caravana de gays de Campo Grande...hehehe (Diego Silva/ Campo Grande-MS)

Dj Ricardo Bast disse...

Bem acho q vc esta um pouco equivocado sobre noite gls aki em campo grande!!Como vc chamou o Bistrot de farofa entao nao sabe o q rola la mesmo, alem de ser a mais antiga comletando 7 anos , e lotando , passam grandes nomes da noite gls de todo brasil, ALTAR, LUIZ PARETO , DIMMY KIERR ,LEO AQUILA BOYS E ARTISTAS FAMOSOS !!Acontece q um lugar ser chamado de farofa e tocar hists e pura demagogia , onde q a mesma LOTA todo final de semana ainda mais agora q houve a reforma !!Acho q vc recisa conhecer realmente a noite aki para colocar umpost chamndo de farofa , pq esta merece respeito e se toca brytnri e rhiana e lota a casa a 7 anos , entao estamos fazendo a coisa certa , sem contar com as noites tbm underground q acontecem atigindo todos os niveis sociais da noite !!FALA SERIO !!!

Anônimo disse...

Voce naum conhece nada de Campo Grande!!!! Coitado de voce,um infeliz em Campo Grande... Procura saber mais antes de falar merda!!

Campo Grande tem muitos lugares bons de ir,Voce deve ter se limitado a conhecer apenas uma avenida da cidade!!

E se voce for daqui de campo grande,o que ainda faz aqui??? Se nem mesmo conhece ou sai pela cidade!!

Alexandre Lucas disse...

Anônimo, posso garantir que o autor é da cidade. Cada um tem sua impressão. Vc poderia escrever a sua aqui...

Ely San Felipe disse...

Ok pessoal, ok!
Sou de São Paulo, trabalho em um projeto de house, talvez o pioneiro na cidade, na Colors, temos uma noite no Vegas, enfim... E com o tempo descubro que não sei nada sobre a noite em uma determinada cidade.
Tenho parentes em Dourados e aqui estou para visitá-los.
A minha percepção, eu que sou de São Paulo e conheço bem a cena lá (não estou sendo prepotente, por favor, não me entendam mal) é que existe muito preconceito envolvendo música eletrônica, incusive das próprias pessoas que nela vivem. Eu gosto de alguns DJ´s específicos, como Murray Richardson, Asad Azvid, Gui Borato, Mau Mau, e não me dou muito bem com as músicas de britney e rhiana. Isso não quer dizer que sou intolerante com esse som. Basta ver a minha situação, aqui numa lan de Dourados, sem ter pra onde ir. Depois de muito pesquisar a cena, descobri que sábado tem Mau mau no Garage, e tenho o Bistrot como opção na sexta. Vou aos dois, com muito respeito. Antes de agredir o cenário, temos que conhecê-lo, aprender com ele, aceitá-lo e torná-lo melhor. O público ganha, a música ganha e pelamordedeus, a cidade ganha.
Nessa sexta estarei em Campo Grande e sinceramente espero que o Bistrot abra, pois não sou tão tolerante assim ao sertanejo ou ao Almir Sater (respeito muito Almir Sater, mas não é a minha opção durante minha visita a Dourados.)

Um abraço a todos e espero encontrá-los lá.

cass-ia disse...

Oi pessoal eu gostaria de saber oque vcs acham que ta faltando no mundo gay em Campo Grande, pois sei que ai nao ha assim mts opçoes..agradeço desde ja as ideias e comentarios..