sábado, 9 de fevereiro de 2008

Espanha...tão vanguarda.


Long time ago eles fizeram um senhor acordo com os portugueses e... puft!!! sanguinariamente conquistaram parte do chamado Novo-Mundo. Passaram por várias crises e regimes ao longo dos séculos: monarquia, ditadura. Uma verdadeira alternância nada fácil e também sanguinária de poder. Perderam poder econômico e qq credibilidade moral durante anos.

O fato é que no século XX eles voltaram a conquistar parte do mundo. Mas desta vez comprando empresas mundo afora. O Brasil é um exemplo. Aliás, o maior exemplo por aí é o símbolo vermelho do Santander.

Mas o que realmente me chama a atenção não são essas conquistas econômicas. Mas outras. Os espanhóis se destacam nos últimos anos por medidas que até os liberais de lá não esperavam.

Em primeiro de julho de 2005 o Congresso aprovou o casamento entre homossexuais. Ok, depois de Bélgica, Holanda e Canadá. Podem não ter sido os primeiros, mas o que importa é que os parlamentares tiveram a coragem de aprovar a lei e foram contra boa parte da sociedade. Lembrando que, por mais liberal que seja, a Espanha ainda é um país religioso e muito conservador em alguns pontos. Basta ver as passeatas feitas regularamente contra... exatamente essa lei.

Agora o governo sugere: os tamanhos de roupas femininas não devem ser classificados por números, mas pelo chamado tipo morfológico. Em vez dos tradicionais 40, 42 ou 44... as mulheres vão poder escolher entre "cilindro", "ampulheta" e "pêra". Ou seja, de acordo com as medidas do busto, cintura e quadril. O próprio Ministério da Saúde recomendou aos fabricantes deixarem de lado a numeração tradicional.

Cilindro: quando as medidas de cintura, quadril e busto são equivalentes. Ampulheta: quando busto e quadril têm medidas parecidas. Só que a cintura é bem mais fina. Já o chamado "pêra": aquela mulher que tem quadril bem largo, mas cintura fina e busto sem grande volume.

Parece pouco? No Brasil simples medidas poderiam facilitar a vida de milhares de pessoas. As escadas dos ônibus, por exemplo. seguem antigos padrões alemães. Por isso muita gente (principalmente idosos) têm dificuldade para subir ou descer. "Pegar" ônibus para muitos é um martírio diário. Claro, alguns ônibus novos já não tem esse problema.
Mas é um número pequeno comparado com a frota. Ah, vc não pega ônibus? Acha que o problema não é seu? Então se tranca numa redoma de vidro e vive lá pelo resto da vida. É problema seu, por mais que vc só use helicóptero ou tenha um modelo básico blindado. Pq o seu funcionário, a responsável pelo teu corte de cabelo, o assistente durante as cirurgias... todos poderiam ter um desempenho muito melhor se talvez chegassem de forma mais confortável e com menor sacrifício ao trabalho.

Ah, e o corte alemão que algumas marcas de roupa ainda têm? Algumas mulheres tem dificuldade em encontrar uma roupa que fique "legal". Hora é a calça que não passa no quadril, a cintura que não fecha, a calça que é absurdamente comprida.

Ok, ok. Você pode dizer que algumas marcas já se adaptaram. E é verdade. Mas a decisão do Ministério da Espanha é super positiva. Ah, minha intenção não é discutir moda feminina, ok? Deixo que vcs mulheres discutam o tema. E desejo sorte nas compras.

E que os espanhóis continuem nos surpreendendo. E essas pequenas atitudes ecoem por aqui e de uma forma ou outra sirvam de exemplo.

2 comentários:

introspective disse...

Sou fã da Espanha! Será minha primeira escolha de país para morar caso eu vá embora do Brasil algum dia.

Alberto Pereira Jr. disse...

eu super acho que deveriam ser redefinidas e padronizadas as medidas das roupas.. aqui é tudo muito confuso.. em uma loja se usa 38, na outra é 40.. ou 42.. estranho..

adooooro a Espanha